Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Embate entre Elon Musk e Alexandre de Moraes envolve Impeachment, inquérito e censura

O dono da rede social X (antigo Twitter), o bilionário Elon Musk, usou a plataforma para escrever uma série de críticas ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), acusando-o de censura e de não seguir a Constituição brasileira. 

O embate iniciou-se após Moraes liderar decisões que restringem o uso da plataforma X a alguns políticos e empresários. A medida faz parte da investigação sobre os ataques ao Congresso, em 8 de janeiro, e uma suposta tentativa de golpe por um grupo de bolsonaristas.

O ministro também protagonizou o combate contra a disseminação de notícias falsas na internet, principalmente no período eleitoral, onde alguns usuários da plataforma contestaram a veracidade do resultado das eleições de 2022 e a eficiência das urnas eletrônicas. 

Entenda a sequência do embate Musk X Moraes:
O ministro Alexandre de Moraes foi o relator de inquéritos que investigam ataques ao Congresso brasileiro. Além disso, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi o responsável por restringir o acesso à então plataforma Twitter a um grupo de bolsonaristas, alegando que estavam disseminando notícias falsas no período eleitoral. 

A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP), o ex-parlamentar Roberto Jefferson e o empresário Luciano Hang são alguns dos bolsonaristas que já tiveram suas contas bloqueadas no antigo Twitter. O bloqueio de contas também atingiu o ex-deputado Daniel Silveira, os blogueiros Allan dos Santos, Oswaldo Eustáquio e Bernardo Kuster e os youtubers Monark e Winston Lima.

Musk critica decisão do ministro

O dono da rede social X criticou publicamente as medidas de Alexandre de Moraes no último fim de semana. 

Informações internas do antigo Twitter a respeito do cumprimento de decisões judiciais brasileiras foram divulgadas a partir da última quarta-feira (3). Essas informações foram liberadas pelo próprio Musk e estão sendo divulgadas pelo ativista e jornalista americano Michael Shellenberger, em artigos que acusam o Judiciário brasileiro de autoritarismo e censura.

Musk faz crítica diretamente em postagem de Moraes
No último sábado (6), Elon Musk respondeu uma postagem feita por Moraes em janeiro, o bilionário escreveu: “Por que vocês estão exigindo tanta censura no Brasil?”.

Na postagem de Moraes, ele parabenizava o ex-ministro do STF Ricardo Lewandowski pela nomeação como ministro da Justiça. 

Em seguida, Musk também compartilhou um post do jornalista Shellenberger com críticas a Moraes, acrescentando o comentário: “Esta censura agressiva parece violar a lei e a vontade do povo do Brasil”.

“Por que vocês estão exigindo tanta censura no Brasil?”, questionou Musk em publicação de Moraes

“Estamos levantando todas as restrições. Este juiz aplicou multas pesadas, ameaçou prender nossos funcionários e cortou o acesso ao 𝕏 no Brasil. Como resultado, provavelmente perderemos todas as receitas no Brasil e teremos que fechar nosso escritório lá. Mas os princípios importam mais do que o lucro”, acrescentou Musk em uma publicação. 

Musk pede impeachment de Alexandre de Moraes
Já no domingo (7), o dono da plataforma postou que, em breve, “𝕏 publicará tudo o que é exigido por @Alexandre e como essas solicitações violam a legislação brasileira”.

“Este juiz traiu descaradamente e repetidamente a constituição e o povo do Brasil. Ele deveria renunciar ou sofrer impeachment”, incluiu Elon Musk. 

Moraes reage às críticas e abre inquérito contra Musk
Após um fim de semana de ataques feitos por Elon Musk, o ministro Alexandre de Moraes reagiu determinando que Musk seja investigado.

Com isso, o ministro incluiu o dono do X no inquérito que investiga a existência de milícias digitais e também abriu um novo inquérito para apurar se o empresário cometeu crimes de obstrução à Justiça, organização criminosa e incitação ao crime.

Além disso, estabeleceu uma multa diária de R$ 100 mil por cada perfil da rede social que venha a ser desbloqueado, em descumprimento de decisão do STF ou do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

“AS REDES SOCIAIS NÃO SÃO TERRA SEM LEI! AS REDES SOCIAIS NÃO SÃO TERRA DE NINGUÉM!”, escreveu Moraes, em caixa alta, na decisão.