Senado tem cinco na disputa pela presidência

Senado tem cinco na disputa pela presidência

Senado define, em votação secreta nesta segunda-feira (1º), quem irá presidir a Casa pelos próximos dois anos. Cinco senadores anunciaram que vão participar da eleição: Rodrigo Pacheco (DEM-MG); Simone Tebet (MDB-MS); Lasier Martins (Pode-RS); Major Olimpio (PSL-SP); e Jorge Kajuru (Cidadania-GO).

Apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, pelo atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e por dez partidos, entre os quais siglas da oposição, Rodrigo Pacheco figura como favorito na disputa.

Simone Tebet aparecia como principal adversária de Pacheco. Entretanto, nos últimos dias sua candidatura enfraqueceu. Ela foi abandonada pelo MDB – maior partido do Senado, com 15 senadores.

A bancada da legenda, liderada por Eduardo Braga (MDB-AM), se aproximou do DEM, de Alcolumbre e Pacheco, em busca de espaços na Mesa Diretora do Senado e na presidência de comissões do Senado.

Com poucas chances de vencer, Major Olimpio, Lasier Martins e Jorge Kajuru devem participar do pleito para marcar a posição, defendendo suas bandeiras e as correntes a que pertencem no discurso de dez minutos que cada candidato fará antes da votação.

Rodrigo Pacheco (DEM-MG) – Tem 44 anos. Nasceu em Porto Velho (RO), mas se mudou na infância para Minas Gerais, onde se formou em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-MG). É advogado criminalista e fez parte da defesa de um ex-diretor do Banco Rural no julgamento do mensalão. Também ocupou cargos na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Foi eleito deputado federal em 2014 pelo MDB. Na Câmara, votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff; presidiu a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e esteve à frente do colegiado durante a análise das denúncias contra o ex-presidente Michel Temer. Em 2018, filiou-se ao DEM e foi eleito senador. Atualmente, preside o diretório do partido em Minas Gerais e é líder da sigla no Senado. Declaração de bens: Em 2018, Rodrigo Pacheco declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 22,8 milhões em bens.

Simone Tebet (MDB-MS) – Tem 50 anos. Nasceu em Três Lagoas (MS) e é formada em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Filha do ex-presidente do Senado Ramez Tebet (MDB), foi deputada estadual do Mato Grosso do Sul, prefeita de Três Lagoas, vice-governadora do estado e, em 2014, foi eleita para o Senado. Está no MDB desde o início de sua trajetória política. Em 2019, tentou presidir o Senado, mas, sem apoio do partido, retirou a candidatura e apoiou Davi Alcolumbre. Em 2016, votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. É a atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Se for eleita, será a primeira mulher a comandar o Senado e o Congresso. Declaração de bens: Em 2014, Simone Tebet declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 1,5 milhão em bens.

Lasier Martins (Pode-RS) – Tem 78 anos. Nasceu em General Câmara, município do interior do Rio Grande do Sul. É formado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mas se notabilizou como jornalista no estado. Foi eleito senador em 2014, pelo PDT. Passou pelo PSD e atualmente está no Podemos. É o atual segundo vice-presidente da Casa e integra o grupo informal Muda Senado, que reivindica o fim do foro privilegiado, a prisão após condenação em segunda instância, e mudanças no Supremo Tribunal Federal (STF). Em 2016, votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Declaração de bens: Em 2014, Lasier Martins declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 1,9 milhão em bens.

Major Olimpio (PSL-SP) – Tem 58 anos. Nasceu em Presidente Venceslau (SP), interior de São Paulo. Ingressou na Polícia Militar do estado em 1978. Foi eleito deputado estadual em 2006 e em 2010. Em 2014, foi eleito deputado federal pelo Solidariedade e votou pelo impeachment de Dilma Rousseff. Em 2018, na esteira da popularidade do presidente da República, Jair Bolsonaro, Major Olímpio foi eleito senador por São Paulo, com mais de 9 milhões de votos. O parlamentar, entretanto, afastou-se do governo após a demissão do ex-ministro Sergio Moro e por desentendimentos com Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Major Olimpio faz parte do grupo Muda Senado. Além de senador, é instrutor de tiro e autor de livros na área de segurança pública. Declaração de bens: Em 2018, Major Olímpio declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 594 mil em bens.

Jorge Kajuru (Cidadania-GO) – Tem 60 anos. Nasceu em Cajuru, município no interior do estado de São Paulo. Fez carreira no jornalismo esportivo, no rádio e na televisão. Em 2016, foi eleito vereador em Goiânia, capital de Goiás, pelo PRP. Pelo mesmo partido, em 2018, conquistou uma cadeira no Senado. Passou pelo PSB e, atualmente, está no Cidadania. Também integra o grupo Muda Senado. Em uma rede social, declarou voto em Simone Tebet e disse ter se candidatado à presidência do Senado para poder discursar no dia da eleição. Declaração de bens: Em 2018, Kajuru declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 95 mil em bens.

Comentários

Outras Notícias