Após problema no aplicativo de votação, PSDB adia definição das prévias para a escolha do candidato à Presidência

Após problema no aplicativo de votação, PSDB adia definição das prévias para a escolha do candidato à Presidência

Ao final de cinco meses de uma campanha marcada por disputa acirrada e tensão crescente, o PSDB encerrou o dia, neste domingo (21), sem saber quem venceu as prévias do partido para definir o candidato à Presidência da República. Desde cedo, o aplicativo de votação apresentou falhas técnicas, impedindo a participação de filiados e provocando revolta. O problema — que chegou a ser classificado, nos bastidores, como "fiasco" por líderes indignados — levou ao adiamento da decisão, sem data definida.

Três nomes brigam pela vaga: Eduardo Leite e João Doria, governadores do Rio Grande do Sul e de São Paulo, respectivamente, e, sem chances de vitória, o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio. Leite defende a conclusão do processo em até 48 horas. Já Doria e Virgílio querem a definição no próximo domingo (28).

Os erros no sistema — desenvolvido pela Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs) e voltado a filiados sem mandato e vereadores — começaram pouco depois das 8h e se estenderam até o final da tarde. Correligionários relataram dificuldades em diferentes etapas de validação, em especial na fase de reconhecimento facial. Muitos tentaram dezenas de vezes, e a estimativa é de que menos de 10% dos 44,7 mil inscritos conseguiram. 

— Quem votou às 7h, 7h30min, conseguiu. Eu comecei a tentar às 8h e nada. O aplicativo pedia para inserir o título de eleitor, depois a foto. Aí era preciso validar o processo com um código enviado por SMS. Depois disso, dava para votar. Eu até consegui, mas ainda tinha de confirmar o voto, com mais um código de SMS e nova foto do rosto. Aí travava tudo e voltava para o início. Perdi as contas de quantas vezes tentei. É um absurdo. Sei  de muita gente, aqui no Estado, que desistiu — conta a assessora parlamentar Ana Teixeira, 48 anos, filiada ao diretório do PSDB de Porto Alegre.

De Brasília, onde o partido organizou evento para receber os votos presenciais de prefeitos, vice-prefeitos, governadores e vices, deputados, senadores e ex-presidentes do PSDB, o  presidente da agremiação na capital gaúcha, vereador Moisés Barboza, classificou a situação como "uma injustiça". Ele chegou a protocolar um documento junto à direção nacional registrando repúdio ao "inaceitável número de filiados, diretorianos, delegados e presidentes de zonais que não conseguem efetivar seus votos em nossas prévias". Barboza defendeu que o pleito fosse prorrogado, caso as falhas persistissem:

— Mais da metade dos delegados do diretório do PSDB em Porto Alegre simplesmente não conseguiram votar, fora os filiados. É um absurdo e é péssimo para a imagem do partido, que foi vítima da inoperância de um serviço contratado.

Em Porto Alegre, o vereador Ramiro Rosário também enfrentou obstáculos para confirmar seu voto. Conseguiu, mas passou o dia ajudando colegas na tarefa, a maioria sem êxito. Segundo ele, o aplicativo apresentou lentidão em todas as fases.

— É uma pena, porque ficou um clima ruim para as prévias e para o partido. Era para ser algo bacana, como a gente vê nos Estados Unidos — lamenta Rosário.

A indefinição e os boatos em torno do desfecho do imbróglio levaram a novas trocas de farpas entre militantes ligados a Leite e Doria, com insinuações mútuas de irregularidades. Inicialmente, o encerramento do processo de escolha, previsto para as 15h, foi adiado para as 18h no app. Depois, Leite pediu uma reunião à executiva nacional para tratar do assunto, da qual participaram Virgílio e Doria — só em São Paulo, a estimativa era de que 62% dos credenciados não teriam obtido acesso ao sistema.

No fim da tarde, depois desse encontro, marcado por mais tensão, Bruno Araújo, emitiu nota informando que a votação pelo aplicativo encontrava-se "pausada em razão de questões de infraestrutura técnica, que não comportou a demanda dos votantes das prévias". 

Conforme  a nota, os votos registrados serão preservados "e o PSDB está definindo, junto com os candidatos, em que momento o processo será retomado". A intenção é definir nova data "para que todos os filiados que não puderam votar neste domingo possam, com tranquilidade e segurança, registrar o seu voto e concluir a escolha do nosso candidato".

Comentários

Outras Notícias