Após fiasco, PSDB contrata nova empresa para concluir processo de votação

Após fiasco, PSDB contrata nova empresa para concluir processo de votação

PSDB anunciou, ontem, que contratou uma nova plataforma de votação para prosseguir com as prévias, depois que o aplicativo desenvolvido pela Fundação de Apoio à Universidade do Rio Grande do Sul (FAURGS) apresentou instabilidade e impediu o pleito de forma remota. O programa da Relatasoft deve substituir o que tentou ser utilizado no último domingo e, segundo Luiz Fernando Machado — prefeito de Jundiaí (SP) e coordenador tecnológico das prévias —, a nova empresa é "madura em eleições", tendo trabalhado em pleitos regionais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A ideia, agora, é correr com a finalização das prévias, cujo fiasco tecnológico trouxe desgastes para todas as campanhas e ainda expôs a profunda fratura que separam o ex-senador Arthur Virgílio Neto e o governador João Doria (SP) do governador Eduardo Leite (RS). Apesar de não esconderem que não se entendem mais — a ponto de os dois primeiros aparecem juntos na coletiva do partido, em Brasília, e o terceiro em Porto Alegre —, voltaram a tentar passar a ideia de que ainda existe alguma possibilidade de entendimento entre eles. Mas, nos bastidores, todos afirmam que, dificilmente, haverá convergência depois que o resultado das prévias for decretado.

Isso pode ser medido pela permanente troca de farpas entre Virgílio e Doria com Leite, e vice-versa. Embora todos afirmasseam que não se consideram "inimigos", não se comprometeram a apoiar um ao outro futuramente.

"Temos profundas diferenças políticas. O governador João Doria fala em expurgar e depurar gente do partido. Existe expulsão e demissão de um secretário de município, vereadores que tiveram suspensão à sua filiação ao PSDB. Tem um tipo de política que tenta exercer menos pelo diálogo e mais pela imposição das vontades", atacou Leite, acrescentando que há duas candidaturas em uma para enfrentá-lo.

Doria, por sua vez, rebateu as acusações feitas por Leite sobre eventuais fraudes na votação, mas tentou contemporizar ao dizer que o gaúcho se deixou levar pelo "calor do momento". "Se tivesse havido, denuncia-se e comprova-se. Se houvesse isso, eles teriam formulado denúncia, mas a colocação dessa natureza sempre está dentro do calor do momento onde a temperatura cresce", disse Doria. Já Virgílio atribuiu as críticas de Leite à "juventude".

 

Comentários

Outras Notícias