Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

API, Amidi e Sindicato dos Jornalistas lançam ‘Grito’ sobre drogas

Grito Contra As Drogas 800x540

Uma parceria entre a Assembleia Legislativa da Paraíba e o Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas (COMAD) promove o primeiro Fórum de Discussão de Políticas Públicas sobre Drogas, nos próximos dias 14 e 15 de dezembro, a partir das 9h, no Plenário José Mariz, na sede do Poder Legislativo Estadual. Na programação, às 11h30, será lançado em entrevista coletiva o ‘Grito de Alerta da Imprensa’ sobre o grave problema de dependência química e de pessoas em situação de rua no Centro Histórico de João Pessoa. O movimento é puxado pela Associação Paraibana de Imprensa (API), Sindicato dos Jornalistas da Paraíba e Associação de Mídia Digital (Amidi).

O Fórum quer alertar as autoridades sobre o drama das substâncias psicoativas na sociedade. “Queremos chamar a atenção dos governos estadual e municipal e outros agentes públicos sobre o problema alarmante, que já invadiu o Centro Histórico da Capital, onde já existem “cracolândias invisíveis”, relatou a jornalista Inise Machado, presidente do Comad-JP.

“Não há solução sustentável e viável para o Centro Histórico que ignore a situação real e melancólica das vítimas de dependência química e situação de rua nessa área vital da cidade. Queremos chamar atenção para uma realidade que precisa ser enfrentada com sensibilidade e ações concretas”, alertou Walter Santos, vice-presidente da Amidi.

A programação do Fórum ainda inclui debates, mesas redonda, oficinas e exposições sobre Legislação e Políticas Públicas sobre Drogas, Prevenção, Acolhida/Tratamento e Reinserção Social, entre outros temas, e contará com a participação de pesquisadores e especialistas. Na sexta, às 9h, está programada uma visita às áreas vulneráveis do Centro Histórico de João Pessoa.

A sociedade Civil com suas representações no Conselho também estão empenhadas em encontrar uma solução para o problema. Entre elas, a Arquidiocese/Pastoral da Sobriedade, Associação Comercial, pastores evangélicos, Amor Exigente, Conselho Regional de Psicologia- CRP 13, Fundação Cidade Viva, FEPAC, Marçonaria e Fazenda da Esperança.