Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Javier Milei será empossado neste domingo e decide quebrar protocolo da cerimônia

Javier Milei Será Empossado Neste Domingo E Decide Quebrar Protocolo Da Cerimônia

O presidente eleito da Argentina, Javier Milei, tomará posse neste domingo (10) e o político de extrema-direita tomou uma decisão controversa para a sua primeira ação como chefe de Estado. Milei decidiu que ao invés de discursar diante da Assembleia Legislativa, conforme tradição no país, discursará de frente para os próprios seguidores. Javier Milei, economista de extrema direita e uma figura polêmica na cena política argentina, assumirá o cargo de presidente em meio a um caótico processo de formação de gabinete e uma transição desordenada. Após jurar perante a Assembleia Legislativa, ele se dirigirá à esplanada em frente ao Congresso para falar com seus apoiadores.

Milei deve apresentar detalhes de suas reformas, privatizações, aumentos de tarifas e mudanças no sistema de trabalho e previdência social. As reformas, embora não tenham sido detalhadas em sua totalidade, incluirão a redução de ministérios de 18 para 9, mudanças na legislação fiscal e reformas no mercado de trabalho.

A decisão de Milei de discursar de costas para o Congresso gerou controvérsia e críticas por parte da oposição, que considerou isso um gesto de desrespeito à democracia e à representação parlamentar. A posse de Javier Milei também contará com a presença de líderes internacionais, incluindo personagens da extrema direita internacional, como o ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro, o líder do VOX Santiago Abascal, o Rei Felipe VI de Espanha, o presidente de Ucrânia, Volodymyr Zelensky, o presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, e o presidente do Chile, Gabriel Boric.

O futuro do governo de Milei agora dependerá de sua capacidade de negociar com o Congresso e de lidar com os desafios econômicos que enfrenta a Argentina. As reformas e mudanças anunciadas prometem ser controversas e gerarão debates acalorados no país nos próximos meses.

Fonte|: wscom