Um verdadeiro defensor público: Fernando Enéas por Carlos Pessoa de Aquino

Um verdadeiro defensor público: Fernando Enéas por Carlos Pessoa de Aquino
Imagem: Arquivo pessoal

Conheci o valoroso e combativo advogado Fernando Enéas de Souza nos idos dos anos 80 em plena efervescência dos movimentos encetados pelos campesinos e os desafortunados para ter seus direitos reconhecidos.
 

O eminente colega, possui uma lista interminável de relevantes serviços prestados à cidadania, aos hipossuficientes, trabalhadores do campo, às Associações Comunitárias e aos Direitos humanos com altivez, destemor e energia moral.
 

Fernando Enéas é honra e glória da advocacia, despossuído de compromissos com os pusilânimes, com os que se amedrontam ante os desafios e vicissitudes inerentes ao exercício dessa atividade tão nobilitante quanto fascinante sempre pronto para o gládio em mãos dos Magistrados empolgado pela paixão dos pleitos num espetáculo fascinante de teses, argúcia, perspicácia, lucidez engenho e arte nas liças cotidianas sem jamais ensarilhar suas armas, municiado de coragem intangível para corresponder a confiança dos desprovidos da sorte com postura perenemente altiva à altura do seu patronato sem temor de desagradar o Magistrado, nem recuar ante seu oponente a se opor às injustiças a rebater e fazer valer direitos negados sem abdicar do direito irrenunciável de exercitar seu dever profissional.
 

Fernando Enéas é um profissional cônscio de suas responsabilidades, sempre pronto a acudir o direito suprimido, a corresponder a confiança do seu constituinte e da sociedade, agrilhoado aos compromissos inarredáveis para com a honra da profissão eminentemente social.
 

A tibieza jamais se coadunou com o perfil desse combativo militante das lides advocatícias que sempre deteve uma consciência frontalmente contraria, tal qual um aríete agudo, um cutelo afiado, na intransigente defesa da sociedade, a resistir em termos e atitudes candentes e opor-se em cautério rechinante aos ataques da injustiça.
 

Como no dizer de Carvalho Netto no seu livro “Advogados”, pag. 498, 2ª. edição, 1952, “É a paixão do bem em azorrague sobre o mal. É a chicotada da verdade contra a mistificação. É o protesto da moral contra a imoralidade” . Enfim, é a sentinela perpétua que sempre atuara na ribalta forense intimorato em face do ultraje da injustiça ao direito demandado com sua forte personalidade para as lutas dos pretórios recusando-se a sofrer placidamente sem travar o combate para reposição da supressão do justo, sem deixar sangrar a chaga da injustiça recolhida a revidar de forma enérgica e veemente, mas sempre com urbanidade e respeito, porém estuante, no limite do aço da imensa resistência moral com sentimentos em ebulição.
 

Esse é Fernando Enéas de Souza um advogado apaixonado, vibrante, trepidante, sem aquietar-se ante o marasmo, as águas mortas, sem deixar pontuar a indiferença onde aqui e acolá podem proliferar pestilências a serem prontamente exterminadas com sua luta, liberdade e coragem sem se deixar atemorizar pelo desconforto, nem se abalar pela sensação de impotência, ao contrário, vivo em seu ardor a avançar sem titubeios, confiante no porvir, palmilhando os caminhos processuais sem recalcitrâncias, marchando resoluto na persecução da Justiça
 

Reverencio o digno colega, nestas breves linhas, e que Deus o conserve com muita saúde e longa vida!
 

*Advogado militante, titular do escritório Carlos Aquino Advogados Associados, doutorando da UMSA e professor da Universidade Federal da Paraíba, Membro do Instituto dos Advogados Brasileiros e da Associação dos Advogados de São Paulo – AASP.

Comentários

Outras Notícias