Teoria Conspiratória ou conivência? Moro e Deltam apresentam defesa e CNMP abre representação disciplinar

Teoria Conspiratória ou conivência? Moro e Deltam apresentam defesa e CNMP abre representação disciplinar

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse ontem (10), em Manaus, que não orientou os procuradores da força-tarefa da Lava Jato, do Ministério Público Federal (MPF), sobre como deveriam agir para obterem a condenação de pessoas acusadas de participar do suposto esquema de corrupção que resultou na condenação de políticos, empresários e executivos de empresas estatais, como a Petrobras.

“Não tem nenhuma orientação ali nas mensagens”, disse Moro se referindo a trechos de conversas atribuídas a ele e a membros da Lava Jato. O teor de parte das conversas foi  divulgado pelo site de notícias The Intercept Brasil, na tarde deste domingo (9).

“Não vi nada de mais nas mensagens. O que há ali é uma invasão criminosa de celulares de procuradores, o que, para mim, é um fato bastante grave. A invasão e a divulgação [das conversas]. Quanto ao conteúdo, no que diz respeito a minha pessoa, não vi nada demais”, acrescentou Moro a jornalistas, logo após participar da abertura da reunião do Conselho Nacional dos Secretários de Estado da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Administração Penitenciária (Consej).

O procurador Deltan Dallagnol divulgou um vídeo em que defende o trabalho da força-tarefa da Operação Lava-Jato, afirmando ser “teoria conspiratória” a ideia de que a investigação foi direcionada com o intuito de prejudicar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A Corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), órgão responsável pela fiscalização disciplinar dos membros do MP, decidiu abrir uma representação disciplinar para apurar uma troca de mensagens atribuídas a procuradores da força-tarefa da Lava Jato.

Fonte: Com informações da Agência Brasil

Comentários

Outras Notícias