Para garantir imposto digital, governo estuda desonerar salários

Para garantir imposto digital, governo estuda desonerar salários

O governo está estudando uma desoneração de até 25% da folha de pagamento das empresas, em todas as faixas salariais, em troca da aprovação de um novo imposto sobre transações digitais.

Originalmente o novo imposto foi proposto com uma alíquota de 0,2% sobre todas as transações financeiras digitais. Isso renderia R$ 120 bilhões ao cofres públicos, suficiente para desonerar empresas a pagarem impostos aplicados até um salário mínimo, que hoje (30) vale R$ 1.045.

Entretanto, o Ministério da Economia vem estudando uma alíquota de 0,4%, o que geraria R$ 240 bilhões aos cofres públicos e permitira a desonareção de outras faixas salariais. Além disso, o imposto será usado para bancar o Renda Brasil, um programa social que poderá substituir o Bolsa Família, com a promessa de elevar o valor do benefício de R$ 190 para R$ 290.

O Ministério da Economia vê o novo imposto como "democrático", pois até "traficantes e políticos corruptos" pagariam o imposto ao fazer uma transação eletrônica, um pagamento ou uma compra online.

 

Comentários

Outras Notícias