Dados da CGU apontam que até médicos receberam o auxílio emergencial na Paraíba

Dados da CGU apontam que até médicos receberam o auxílio emergencial na Paraíba

Um levantamento divulgado pela Controladoria-Geral da União (CGU) nesta quinta-feira (16) detalhou as distorções no pagamento indevido do auxílio emergencial a servidores públicos na Paraíba. Ao todo, 6.603 deles receberam o benefício. Deste total, merece destaque o fato de que 2.897 são servidores da Secretaria Estadual de Saúde, 2.614 aposentados e pensionistas da PBPrev, 466 servidores da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia e 150 são militares da Polícia Militar.

No rol dos servidores da Secretaria Estadual de Saúde, estão 133 enfermeiros, 26 assistentes sociais, 21 nutricionistas, 16 fisioterapeutas, 7 farmacêuticos, 5 psicólogos, 3 biomédicos, 2 contadores, 2 cirurgiões-dentistas, 2 ouvidores, 2 arquivistas, 2 assessores de imprensa, 1 médico radiologista, 1 administrador, 1 advogado, 1 diretor e 1 estatístico.

No caso da Secretaria Estadual de Educação, constam 68 professores da educação básica, cuja maioria possui remuneração que varia entre R$ 6.030,04 e R$ 8.773,55, bem como existem 14 diretores e 6 vice-diretores de escolas.

Em relação às prefeituras e câmaras municipais, todas as 223 prefeituras tiveram servidores que receberam auxílio emergencial indevidamente, totalizando 19.298 servidores, e, no caso do Legislativo Municipal, apenas 124 Câmaras de Vereadores tiveram servidores com recebimento indevido do auxílio emergencial, num total de 348 servidores.

 

Comentários

Outras Notícias