Cientistas alertam para linhagem mais contagiosa do coronavírus

Cientistas alertam para linhagem mais contagiosa do coronavírus

De acordo com um artigo publicado na revista científica bioRxiv, há uma nova linhagem do coronavírus que parece ser ainda mais contagiosa do que a inicial, que causou a pandemia de Covid-19. Chamada de D614G, a mutação tem uma alteração na proteína spike, parte que o vírus utiliza para invadir células humanas.

"O D614G está aumentando em frequência a uma taxa alarmante, indicando uma vantagem de aptidão em relação à tensão original de Wuhan que permite uma propagação mais rápida", diz o estudo, liderado por uma equipe do Laboratório Nacional de Los Alamos, nos Estados Unidos.

Os cientistas analisaram 6 mil amostras de todo o mundo para descobrir que a cepa em questão era a dominante. "A história é preocupante, pois vemos uma forma mutada do vírus emergindo muito rapidamente e, durante o mês de março, se tornando a forma pandêmica dominante", escreveu Bette Korber, principal autora do estudo e bióloga computacional, no Facebook.

Contudo, há quem discorde que a linhagem é capaz de se disseminar mais rapidamente devido à alteração no spike. Bill Hanage, professor associado da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, afirmou que "essa variante pode ter tido sorte e foi apresentada a lugares fora de Wuhan e a diferentes abordagens do distanciamento social desde o início", em seu Twitter. Ou seja, para ele, a D614G não se espalhou por suas características, mas sim por puro acaso. "Não se trata do vírus, é do meio ambiente e das oportunidades de transmissão", acrescentou Hanage .

Comentários

Outras Notícias